Agora

Reginaldo Manzotti

08:00 - 09:00

Notícia

MP entra na Justiça para pedir lockdown e socorro à economia em SC

MP entra na Justiça para pedir lockdown e socorro à economia em SC
MP entra na Justiça para pedir lockdown e socorro à economia em SC

O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) entrou na Justiça para pedir que as medidas restritivas adotadas nos finais de semana pelo Estado sejam estendidas por 14 dias contínuos. A ação também pede que o governo seja obrigado a apresentar um plano econômico de socorro emergencial e compensações para reduzir o impacto para pessoas e empresas – em especial as de pequeno porte, profissionais autônomos e liberais.

A avaliação do MP é de que o recorde de arrecadação do Estado, que registrou superávit de R$ 1,8 milhão em 2020, justifica o auxílio econômico. A ação pede que o governo apresente, a cada sete dias, um plano de retomada gradual e segura das atividades econômicas. O objetivo é evitar um novo descontrole das contaminações em SC.

O processo está sob responsabilidade da 2ª Vara da Fazenda Pública da Capital. Nele, o MPSC argumenta que o período de 14 dias de lockdown é indicado pelos especialistas para reduzir a pressão da pandemia sobre o sistema de saúde. Santa Catarina está sob colapso, com mais de 400 pacientes na fila de espera por um leito de UTI e hospitais de portas fechadas para emergências por incapacidade de atendimento. A ação aponta que as mortes por Covid-19 registradas em 2021 em SC já correspondem a mais de um terço de todos os óbitos causados pela pandemia.

O Ministério Público também solicita mudanças na gestão interna da crise sanitária. O pedido é para que o Estado reative a equipe técnica que respondia pela análise do cenário epidemiológico e respaldava a tomada de decisões. A Promotoria quer que os apontamentos dos técnicos sejam públicos.

A judicialização das medidas restritivas eram esperadas, diante do posicionamento do MPSC. Na terça-feira, o Gabinete de Crise do Ministério Público avaliou que as medidas tomadas pelo Estado, até então, eram insuficientes.

Nesta quarta, as promotorias responsáveis acompanharam o resultado da reunião do governador Carlos Moisés (PSL) com os prefeitos, em que foram anunciados os novos decretos. A suspensão de atividades nos finais de semana foi antida, e o governo proibiu a venda de bebidas alcoólicas a partir das 21h, todos os dias da semana.

Assinam a ação os promotores de JustiçaLuciano Trierweiller Naschenweng, que atua na área da saúde em âmbito estadual, Douglas Roberto Martins, coordenador do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos e Terceiro Setor (CDH), o Defensor Público-Geral do Estado, Renan Soares de Souza, e a defensora Pública do Estado, Ana Paula Berlatto Fão Fischer.

Fonte(s): Nsc Total/peperi

Comentários

Últimas notícias

30 Jul
GERAL
Convocação da imprensa para live de Bolsonaro produziu fachada para uso indevido da TV

Convocação da imprensa para live de Bolsonaro produziu fachada para uso indevido da TV Brasil, afirma Malu Gaspar

30 Jul
GERAL
Pomar de pêssego vira ‘plantação de cristal’ em SC; veja vídeos

Pomar de pêssego vira ‘plantação de cristal’ em SC; veja vídeos

30 Jul
GERAL
Homem ‘vira fantasma’ após ser preso por furtar carro em Rio Negrinho

Homem ‘vira fantasma’ após ser preso por furtar carro em Rio Negrinho

Esse site utiliza cookies para melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar o acesso, você concorda com nossa Política de Privacidade. Para mais informações clique aqui.